#Budismo#meditação

Compartilhando experiências no caminho

domingo, 31 de outubro de 2010

Falando sobre emoções


Atualmente estou num processo de estudos sobre as emoções e como elas funcionam seguindo duas linhas distintas de pensamento, a filosofia Budista e o método terapêutico do Patchwork. Ambos claro idênticos em sua essência mas com uma abordagem diferente. A linguagem do Patchwork nos fala de máscaras que utilizamos quando tentamos contruir nosso eu idealizado, aquilo que achamos que temos que ser para fazermos parte do meio em que estamos naquele momento. Em maior ou menor grau descobrimos que todos criamos máscaras para agradar nosso ego de alguma maneira , o problema é que com o tempo nos perdemos nestas máscaras e já não sabemos mais identificar o que somos realmente, pois ao tentar mascarar sentimentos e justificar atitudes vivemos grande parte de nossas vidas um personagem fictício. É difícil reconhecer este ciclo, mas pude perceber que quando paramos para analisar - o tal abrir a caixa de Pandora, é um choque perceber quão pouco de nós se preservou neste emaranhado de emoções forjadas. Ao tentar criar máscaras para podermos ser aceitos ou para nos auto-afirmar, perdemos este contato tão importante com nossa essência original. Entrando agora no âmbito Budista, posso perceber uma dinâmica parecida. Neste caso o Budismo nos fala de dois tipos de mandala, a mandala negra das emoções onde a ignorância está no centro e em volta todas as emoções em seu estado "bruto", e do outro a mesma mandala branca com a sabedoria no centro. Todos possuímos todas as emoções, manifestas em maior ou menor grau dependendo de nossas tendências cármicas, aquelas que carregamos por muitas vidas em nosso continuo mental. Percebendo cada um a sua maneira as suas emoções, sentimos que na maior parte do tempo ao invés de utilizá-las elas se servem de nossa ignorância para nos dominar e este ciclo vicioso vai nos jogando de um lado para o outro, agregando outras emoções já que uma desencadeia várias, é como um dominó formando um circulo vicioso de cair e se levantar, porém quando não nos apercebemos desta dinâmica, muitas vezes caimos e não conseguimos nos levantar pois perdendo contato com nossa exência, nos tornamos fracos, pequenos joguetes. Eu como boa escorpiana, já há muito tempo coloco em pauta em minhas meditações o ciúme, em meu contínuo mental trago esta característica muito marcada pois é esta emoção que provoca em mim o efeito dominó e faz girar minha mandala negra. Percebi que num primeiro momento ela me apanha e me joga num estado de torpor negativo e então desaguando na ira, na incompreensão, na mágoa me levando a fazer julgamentos errôneos. Em outros tempos me fazia tomar atitudes impensadas que me colocavam contra amigos queridos, as vezes prejudicando outras pessoas apenas pelo simples desejo de vingança por motivos torpes e vis. Já venho trabalhando esta emoção a muito tempo, mesmo antes do budismo pois percebi que depois de uma cena de ciume montada, o pós era arrazador e vinha companhado de culpa e vergonha pela entrega nefasta. Mas não se enganem, o primeiro fato real é o de que as emoções estão ai para todos em maior ou menor grau e nunca nos livraremos delas. mas não fiquem preocupados, voltando a mandala branca, deselvolvendo a sabedoria passamos a identificar o que nos causa aquela emoção e principiamos colocando-a em evidência em nossas meditações, identificando os motivos que nos levaram a sentí-la, então esmiuçamos cada passo para que ela fosse construida e nas próximas situações similares nos sentimos mais seguros para enfrentá-la, este já é um grande progresso. depois aplicamos antidotos que irão dissolver aquela emoção negativa e posteriormente usá-la positivamente, mas ai já é mais complicado, no meu caso tenho ainda que praticar muito para usar estas ferramentas. Enfim, identifiquem o que mais lhe tira do sério, esta será a sua meta de estudo e trabalho, começamos com as mais fortes e depois passamos para as mais fracas e lembrando-se sempre, usando a Sabedoria transcendemos nossas aflições porque começamos a perceber todo este mecanismo intrincado. Tentando primeiro deixar de magoar, agredir e criar armadilhas para o outro já é um bom começo, depois começamos a nos curar, é um processo seguro e efetivo mas requer muita disciplina e trabalho e as vezes assumir posturas que podem ser desagradáveis ao outro e mesmo te colocando no ostracismo das convivências sociais, mas também se isto ocorre frequentemente, melhor "procurar sua turma" não é mesmo, um terreno seguro e fértil de conhecimento e camaradagem podem nos levar muiiiiito longe. Boa sorte a todos.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Fim de semana agitado em Arraial




Gente...Arraial em festa literalmente este fim de semana, pelo menos para mim ahahahah, aniversários, churrasquinho com o pessoal da Espalhafatos, tudo de bom. Nosso churrasquinho foi para comemorar o pagamento de nosso cachê depois de 4 longos meses, affff, isso porque éra para recebermos com 60 dias. Mas pelo menos o dindin saiu e deu uma refrescada pra galera, pra mim então nóssssa. Depois do desfalque deu pra colocar em dia aquelas continhas básicas. Peixinho, carninha, saladinhas, tropeito hummmmm, demais. Afora o incidente do pavê que o coitadinho do Joel derrubou e ficou arrazado, mas depois das devidas averiguações descobrimos que a culpada éra............a Galllll, danada colocou o peixe em cima e o pavê não deu pra comê. Bailado na piscina de Airtom e Poliana, e para finalisar exercícios cênicos monitorados por lap top, ai essa trupe é realmente hightec ahahahah. Depois rumando para niver da Gerry, gente tinha um arroz de polvo de comer rezando, claro pedindo a todos os deuses para não ter pesadelos de tanto comer, maravilhoso. Tudo perfeito, as comidinhas, vinho, um bolo maravilhoso feito pela Joana - gente não sabia destes dotes culinários de nossa eterna Iemanja. Imagina eu voltando pra casa, arrazadaaaaaa, de tanto comer bem. Gerry, querida se sabe, não preciso nem falar, seria chover no molhado, 80 anos de vida muito bem vivida e uma tremenda sabedoria. E para completar na segunda, niver da Sabine,gente Sabine é uma super padeira, cada pão de arrazar. Os escorpianos estão imperando obaaaaaaa, Léo Léz me falou que tem um montão de escorpianos do dia 15 que nem que eu, é a gente que equilibra essa loucura toda né ahahahahahah. Bom não poderia deixar de agradecer a todos os Budas por poder conviver com tantas pessoas maravilhosas, ah e o principal, elas me suportarem, tem gente que quando chego já me fala, ahhhhh não foto não. Gente quer coisa melhor que foto, liberou geral, agora todos somos fotografos, artistas, celebridades , modelos e atrizes ahahahahahah. Fui...

domingo, 17 de outubro de 2010

Era um domingão...


Tinha muito sól gente. Mar azul, Pitinga é tudo de bom, fala sério vou reclamar de que gente!!!! Depois de uma semana punk, voltamos a realidade que é ... vamos em frente que atrás vem gente - menos gente noiada por amooooorrrrr. Finalizando uma fase de Arraial, fase loja na Mucugê, 8 anos gente. Bom agora é apostar na internet, meu sonho pessoas, conseguir ter uma clientela legal, ai sim poder sair deste circuito doido de turismo de verão, cancei, a estas horas já tava começando a pensar que tava próximo, depois quando chegava rezando pra ir embora, quando acabava o medão da baixa, ninguém merece né gente, sempre esperando algo que nunca acontecia ou pelo menos não do jeito que queríamos. Masssss, senhores lojistas não desanimem não, acho que a Artematéria fechou uma fase das lojas de artistas com aquela politica de antigamente, peças exclusivas, o atendimento tão pessoal, fazíamos tantas amizades, algumas que cultivamos até hoje, foi muito bom enquanto durou, acho que somos heróis, ficar 8 anos na Rua é um record, acho que só quebrado pela Helena e o Régis, a Ana Laura, tem mais alguém??? Anfan...

terça-feira, 12 de outubro de 2010


Até ontem eu já tinha mais ou menos pensado no que iria escrever, porém com um fato triste ocorrido a semana passada e outro hoje continuarei no tema mas terei que mudar um pouco o foco. Na semana passada a Bandeiroza Produções fez a decoração da festa dos Rebel Bikers no La morotcha. Sempre que aparece a oportunidade de trabalho eu e Julio damos uma mão para o Horácio e Claudinho e claro ganhamos uma graninha quando é possível. O pessoal do bar é super profissional, o Max e a Pat realmente poem a mão na massa, trabalho duro gente. O Gabiru, gerente do bar, a Pat, todos em sintonia fazendo o espaço funcionar. Algumas vezes me criticam um pouco por eu querer ser toda organizadinha, sabe que é gente, minha formação em São Paulo, no meio empresarial me ensinou que num negócio a organização é fundamental, o que cada um faz a que hora e quantas vezes. Apartir do momento em que as coisas estão em seus devidos lugares a máquina funciona. Ponto é legal, idéia é legal, são super importantes, mas a organização tem seu papel. Afora isto, temos pessoas que sabem o que estão fazendo e onde querem chegar. Uma super atenção, tudo falado na hora, combinado na hora e acertado na hora. Gente não tem coisa pior que trabalhar com pessoas que quando tem que decidir as coisas desaparecem, desligam celular, gente pra mim isso é o fim da picada, em negócio de eventos é tudo pa e pum, não dá pra ficar enrolando, isso se chama falta de profissionalismo, e em todos os setores. Por favor não façam isso é chato demais e cria uma fama difícil de apagar. Anfan, fizemos nossa parte, fomos pagos assim que acabamos o trabalho e pronto, ambos os lados satisfeitos sem muita lenga lenga, isso é respeito profissional. Tive um grande mestre que foi o diretor geral de um grupo onde trabalhei e com quem me dava muito bem , ele sempre dizia, uma boa negociação é aquela em que os dois lados ganham. Afora isso o que me chamou a atenção? Uma nova geração está aí e muitas pessoas ainda não se deram conta, garotos jovens cheios de garra reclamando seu lugar e eles vem com tudo, abram os olhos, se unam a eles se quizerem continuar na onda ou muita gente vai ser engolida . Outra, finalmente descobri o que é regaton.

Fora isso, a loja de nossa amiga onde deixamos nossas peças foi roubada. Pela aparência das coisas foi um viciado em crake, o cara deu um murro num vidro da porta e se meteu por ai se rasgando todo. Quando minha amiga chegou havia uma poça enorme de sangue no chão, a visão do inferno. Claro que só levou nossas coisas, o que da mais tristeza e ver toda nossa mercadoria parar na mão de um traficante e virar troca de pedra. Dói gente, é uma parte de nós que vai ali. Quem nos conhece sabe o carinho com que fazemos cada peça. Mas a vida é assim, um dia se perde, no outro se ganha, mas a degradação humana percebida de perto é assutadora.

Sinal dos tempos, nossa vidinha vai mudando, queira ou não um dia teremos esta experiência de alguma maneira já que o número de viciados está grande, dormindo pelas portas, jogados, abandonados. Não se enganem, a Casa Dia pode tentar ajudar alguns mais o número cresce exponencialmente. Não sei o que dizer, o que pode ser feito. Todos nós estamos de mãos atadas, a doença é mais profunda, é da alma,e aí é difícil chegar, nossa única proteção? Somos nós mesmos, o único que podemos fazer é tentar cuidar de nosso jardim pelo menos, olhar nossos filhos, sermos mais amorosos, mais atenciosos, menos invejosos, amargos e intolerantes. Rezem por vocês, por todos nós, o mal espreita mas a luz sempre estará lá,lembram - sem a luz as trevas não existem, vou tentando manter minha luz acesa, o que posso fazer? Ser o que sou e deixar o outro ser o que é para o bem e para o mal, que poder tenho eu frente a isso tudo. Vou tentar manter minha luzinha acesa, pedir com muita força que este ser perdido consiga encontrar a luz e que nenhum deles me façam mal.

Aproveitando para mandar muita luz para minha amiga Rose, que sua caminhada seja plena para o que der e vier. Só tem uma imagem que posso colocar hoje, a de meu mestre, que sua imagem de sabedoria plena possa nos proteger neste dia tão triste.

domingo, 3 de outubro de 2010

Amigo é coisa pra se guardar


Amigos, hoje pensei muito neste tema. Amigo é aquela pessoa que como já disseram você escolhe, diferente de parente. Amigo é gente como a gente. Escolhemos pessoas que nos fazem felizes, nos causam orgulho, que são referências, nos dão conselhos e mais importante nos acolhem e nos amam mesmo quando somos imperfeitos. Temos amigos distantes que não vemos a anos mas de qualquer maneira ainda são amigos, é uma ligação profunda, não sei se por causa dos momentos vividos juntos. Alguns amadurecem ao nosso lado, outros que passaram juntos a nós os melhores momentos da juventude. Sentimos falta sempre de nossos amigos. Eles são nosso primeiro contato com esta interligação humana, são nossos mestres pois nos ensinam que também podemos falhar, podemos usar palavras duras, podemos brigar mas uma amizade forte supera todas as adversidades. Conhecidos temos muitos, não deixam de ser amigos mas ainda é necessário aquele pacto de confiança, aquela coisa de quando ele me olha sabe como sou de verdade. Não tenho muitos amigos, conheço muita gente e só esse fato já me abre infinitas possibilifades de amizade, isso é muito bom. Mas prezo meus amigos acima de tudo, são meu maior tesouro pois eles me ensinam a amar, a ter confiança neste mundo tão hostil de carinho e amizade. Valorizem seus amigos, alguns vão outros vem, uns são novos, alguns antigos e assim vamos compartilhando essa maravilha que é viver, estando juntos. Amizades verdadeiras nos tornam mais humanos, nos preparam para um passo maior, a aceitação do outro, assim do jeitinho que ele é. Obrigada a todos meus amigos, meus conhecidos que um dia se tornarão meus amigos, aqueles que o serão e ainda nem conheço mas sempre deixo a possibilidade latente de tê-los. Obrigada a todos os Budas e seres iluminados por me proporcionarem a dádiva de ter amigos e não me sentir desamparada, é muito bom poder dizer que amamos alguém, tirar esse ranço de usar tão pouco esta palavra tão especial, amar é bom e é fácil basta querer. Aproveitando o ensejo para dedicar este texto ao Claudinho em especial - desculpe amigo, estava pronta para ir ao seu niver e ai veio o vento virado e não deu e a Cris minha amiga ambos librianos. Feliz aniversário e Tudo de bom que vocês merecem. Com amor de sua tão imperfeita mas sei que também amada amiga.