#Budismo#meditação

Compartilhando experiências no caminho

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

AI AI AIAI TÁ CHEGANDO A HORA !!!!!


Bom pessoal, hora de começar a arrumar as trouxas rumo a um novo período. Não tenho muitas coisas que dizer porque todos vem acompanhando nossa tragetória e sabem bem que nossa estada aqui foi maravilhosa apesar de todas as dificuldades que no final são necessárias e fazem parte da vida pois somente assim a valorizamos e aprendemos. Tiro uma grande lição, ter amigos é tudo. Se conseguimos estar aqui, se conseguimos ir para outro lugar é porque com a graça dos Budas , sempre tivemos amigos verdadeiros. Mas também descobrimos que tê-los é uma questão de reciprocidade, a confiança, a admiração, o amor verdadeiro, não este que conhecemos apegado, unilateral, só conseguimos quando damos, lembrem-se sempre disto, amigo não é somente aquele que encontramos todos os dias e vivemos dando beijinhos, dando conselhos, tendo ciumes, essa é uma amizade imatura e infantil, amigo é aquele que te fala as coisas certas na hora certa e principalmente sabe ouvir porque na verdade não queremos conselhos mas sim uma pessoa disposta a compartilhar nossas dúvidas e anseios e que na hora H está sempre lá pronto a te ajudar. Já falei aqui diversas vezes que meu maior tesouro é possuir  amigos. Não é fácil conquistá-los, amizades superficiais temos de montão mas precisamos cultivá-las, trabalha-las para que se tornem realmente verdadeiras. Falo isso porque Arraial sobretudo me ensinou a me abrir mais as pessoas, ser mais carinhosa, mais verdadeira, ser eu mesma sem subterfúgios ou máscaras para ser aceita, me ensinou que turminhas e guetos não funcionam, tenho amigos em todos estes meios e tenho por eles todos a mesma admiração e respeito. Cultivem suas amizades, sejam menos egoistas nestas amizades, compartilhem mais, amem mais, sejam mais corretos, mais generosos, sejam verdadeiros. Obrigada Arraial, não mencionarei nomes, datas, locais porque neste momento Arraial é para mim um organismo vivo, pulsante. Uma natureza maravilhosa, um Q especial que não sabemos identificar difícil de encontrar em outros lugares. Obrigada a todos que nos apoiaram, aqueles que não o fizeram, obrigada por me fazer encontrar aqui o meu maior tesouro o Budismo que me fez compreender tão bem o sentido da amizade e a grande oportunidade de aprendizado. Fiquem com os Budas, com Cristo, com Iemanja pois todos habitam esta terra maravilhosa. Claro que estarei sempre presente, contando as perípécias de minhas novas aventuras que sei serão muitas. Com grande respeito e gratidão agradeço a essa terra maravilhosa, a Bahia de Todos os Santos, fui imensamente feliz aqui. Axé minha Nossa Senhora Dajuda, És a senhora deste lugar.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O que me lembra a Bahia


Puxada de Rede
Existem três palavras que me lembram a Bahia de imediato, Jorge Amado, Acaragé e Capoeira. Gente tem coisa mais Bahiana que uma bahiana vendendo acaragé, ou assistir uma apresentação de capoeira lá no mercado modêlo em Salvador? Fantástico. Quando cheguei a Bahia lá pelos idos de 96 para morar me deparei derrepente com outro país. Eu uma Paulistoide urbana de saco cheio do sistema, jogando tudo pro alto me mandei e fui parar numa ilha na Bahia sem ter tido contato algum com a cultura, mas gente, ter lido Jorge Amado me ajudou pacas, pelo menos a entender que o Bahiano tem uma outra dinâmica de entender as coisas. Sabe aquela história do Português ,  é que o entendimento é diferente, a lógica é distinta, e em Morro de São Paulo da Bahia de Todos os Santos eu tive esta certeza. As vezes me sentia falando grego ou sei lá o que, mas com o tempo você vai se acostumando, ou isso ou você pira porque é cultural, não adianta. Até hoje me pego sonhando com a Av Consolação e a Praça Roosevelt onde marcava encontros para descer para o Bixiga, não adianta é cultural. Então como toda paulistana que se considera cidadã do mundo - deixando claro que eu nasci em Minas mas fui criada desde os 3 anos em São Paulo), não nego a origem jamaissssss, afinal mineiro também é Mara . Controvérsias a

Capoeira o futuro sempre presente
parte, anfam,  fui fazer algo que me aproximasse da Bahia que me incutisse aquele - Axé meu Rei  ... e claro, caí na capoeira. Amei, não podia haver lugar melhor para aprender como as coisas funcionam no reino dos Abalorixás.  As aulas de preparo físico são fantásticas, inclusive a Luciana da Academia está com aulas especiais de condicionamento físico, vale a pena galera. Meu grande problema é que não consigo fazer estrela, acho que se tivesse aprendido a andar de patins seria mais fácil - mas também porque pensei nisto agora? ......Acho que era uma sequência na época... patins....fazer estrela...haaa sei lá. Voltemos ao texto. Anfan, a capoeira sintetiza o que é ser bahiano, a ginga, a sensualidade, a malandragem mas também é fonte inesgotável de cultura regional, toda criança na Bahia e no mundo deveria fazer capoeira, aprender as regras de convivência, de respeito, como lidar com o poder. Claro que como disse Mestre Railsom muitos deixam aquilo subir a cabeça e se perdem mas não tem muito pra onde correr, se você for bom tem que virar professor e ensinar, não tem mais o que se fazer pois a capoeira além de
Mestre Railsom e Luciana

dança é um esporte hoje em dia, então não viaja achando que vai virar super star porque é bom de capoeira,  bora passar estes conhecimentos que você recebeu com responsabilidade e generosidade e você será um super star na vida e na roda que é o que importa realmente. Parabéns a Luciana e Mestre Railsom pelo novo espaço. Minha maquina pifou na hora das fotos mas ainda bem que minha amiga Gema estava por perto e consegui montar o filminho no Youtube. Esta postagem é em homenagem a Bahia, aos bahianos maravilhosos que conheci e se tornaram meus amigos, sua terra é maravilhosa que se possui está energia fulminante é por causa de seu povo, nossa veia
Mestre Railsom prestando homenagem
a um de seus mestres
Mestre Estrela

negra pulsante de cultura afrobrasileira, gosto desta palavra acho que combina mais conosco que os afroamericanos, aqui realmente houve a miscigenação de três raças que nos criaram não é mesmo. Se vier a Bahia então gente é obrigatório, vai conhecer a capoeira este primeiro contato vai abrir muitos dos seus canais dos sentidos.
Solange - Joga muito Angola
Penha - lambadeira de primeira