#Budismo#meditação

Compartilhando experiências no caminho

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A minha formatura este ano


Um final de ano está se aproximando, nesta nossa contagem ilusória do tempo.  Gostaria de numa visão parcial, claro a minha que é a única que reflete a minha percepção, dizer o que para mim aconteceu neste  aniversário que se aproxima de Ouro Preto.

Vou falar apenas do que aprendi, pois dentre todas as experiências que experimentei somente o aprendizado pode ser encarado de fato como algo positivo para mim. Este aprendizado se tornará minha experiência, meu legado, minha vivência durante este ano que se finda.

O que aprendi sobre amizade: descobri que realmente os amigos são na verdade nossa família pois são aqueles a quem escolhemos ou a quem a vida nos faz acolher em nossos corações. Por um motivo ou outro pessoas entram em nossas vidas, e é nossa responsabilidade zelar por elas, dar nosso apoio, nossa compreensão, nosso estímulo somente pelo fato de elas estarem lá   pois isso não é por acaso. Se cultivamos atitudes corretas, positivas e benéficas podemos perceber que os inimigos desaparecem pois este estado de inimizade é apenas um reflexo ilusório de nossa percepção quando nos utilizamos de subterfúgios como orgulho, ciúme, avareza ou raiva para nos relacionarmos com o mundo. Descobri com imensa alegria que não tenho inimigos, nem mesmo desafetos.  Descobri que isso aconteceu a partir do momento em que parei de classificar esse é meu amigo, aquele nem tanto, esse não me inspira em nada. Apenas decidi que indiferente de minhas percepções pessoas vão estar em minha vida e devo respeitá-las sem qualquer protecionismo ou favorecimento.

Aprendi sobre tolerância : aceitando o ponto de vista do outro, me colocando no lugar do outro e por fim deixando de lado meu orgulho em detrimento do que era o certo em prol do que era o justo para ambos os lados.

Aprendi sobre o que realmente é importante: consegui perceber através de minha prática que para mim o mais importante é o meu caminho, só ele importa pois ele é a minha vida meu maior legado . Ele me dá as condições de perceber meus erros quando posso encará-los e aceitá-los. Meu caminho me ensina que sim, preciso ter uma boa condição de vida para  seguir meu caminho espiritual, se nesta vida posso usufruir destas condições positivas isso quer dizer que batalhei por elas e não é meu direito abrir mão desta condição perfeita que possuo agora, meu maior tesouro nesta vida é meu nascimento como ser humano . Posses, propriedades, fortuna para mim se resumem em uma palavra, despertar. Ver a vida como realmente é, encarar as tristezas e sofrimentos como um degrau para a descoberta de estar no caminho real. Descansar nos momentos de alegria, me deixar ser feliz sem culpa, mas sempre alerta para o fato de que tudo muda,  tudo se transforma inclusive nós mesmos, e através destas mudanças é que reside a clareza o aprendizado e por fim a sabedoria de entender o significado de cada acontecimento em nossa vida. Não culpar, não procurar fora a razão de nosso sofrimento pois é insano procurar fora algo que geramos em nós mesmos, ninguém pode ser responsabilizado por nossas desventuras, de uma maneira ou de outra nós colhemos o que plantamos, a sincronicidade nos mostra isso. Nada é por acaso.

O que aprendi sobre o amor: que ele só é válido quando é praticado com o coração . Aprendi que dizer te amo é fácil, mas sentir o amor em nosso coração com verdade e sinceridade por tudo e todos é um exercício longo e dolorido. Aos poucos vamos amolecendo nossa postura então aquele não matar começa a fazer sentido e até o sofrimento do menor dos insetos nos alcança, precisamos ser fortes, ser guerreiros da luz primeiro conosco, percebendo as vezes nossa impotência frente aos acontecimentos mas percebendo ao mesmo tempo o poder infinito deste sentimento e enviá-lo a todos os pontos deste planeta e além.  Somente com o desejo de que todos os seres tenham felicidade e que encontrem os meios para atingi-la, com convicção e acreditando verdadeiramente que esse nosso desejo se concretizará.

O que aprendi sobre sabedoria : aprendi que podemos obtê-la, e o quanto é maravilhosa esta oportunidade de simplesmente entender. Entender o quão somos fracos, preconceituosos, maléficos, invejosos, injustos, prepotentes e muito mais. Aprendi que sou tudo isso e quando percebi me achei horrível, e chorei. Mas depois percebi também o quanto de bondade e generosidade eu era capaz de sentir e compartilhar e me senti mais segura para encarar a todo momento estas emoções tão infectadas e impuras mas que tenho certeza são passiveis de depuração para transformá-las através da alquimia do coração. O remédio com certeza é o amor, a prática diária da consciência plena, da atenção treinada exaustivamente todos os dias com a prática, com a nossa fiel companheira em quem podemos confiar totalmente pois éla nos traz a verdade, ela nos mostra o caminho certo. Como nosso juiz e nosso mestre nossa consciência sabe tudo, a culpa não é nada mais que a nossa própria consciência nos dizendo que erramos, que algo não está legal. As vezes nossas atitudes estão envoltas nesta bruma de ignorância e não percebemos nossa participação ativa nos acontecimentos e magoamos, ferimos. Mas nossa consciência é clara e límpida como a água de um riacho sem impurezas, e nos manda sinais. Nos manda a todo momento mensagens de “não faça”, mas lá está nosso égo cheio de orgulho e nos diz “faço”.

E por fim o que agradeço: a meus mestres por sua entrega generosa. A meus amigos no caminho, Budistas ou não pois todo caminho nos leva a um único lugar, a nós mesmos. A meus novos companheiros que entraram em minha vida neste ano maravilhoso pleno de aprendizado. As perspectivas de um novo ano de crescimento e de poder cada vez mais me doar de maneira positiva ao darma e a todos os seres sempre me desculpando por ser ainda tão fraca e ainda cair em minhas delusões , mas prometo que neste novo ano tentarei ser muito melhor, e no próximo mais ainda, até que por fim possa me encontrar na paz simples do existir sem causar dano.

A todos um feliz Novo Ano de aprendizado, e que minhas palavras possam continuar a levar  somente o que de melhor tenho em  mim.

SARWA MANGALAN

Damcho Drolma

Vulgo -  Carmem de Cassia

P.S. Dedico este texto  principalmente a Cris, Carlos, Paulinho, meus grandes mestres este ano, meu companheiro amado Julio e a todas as pessoas maravilhosas que Ouro Preto me propiciou conhecer, tendo consciência de que elas estão em todos os lugares, basta aceitarmos nossa nova morada como a nossa casa, nosso lar e assim é o mundo todo.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Gay homofóbico é Uóooooooo

Hoje li um comentário em um blog que me preocupou. O personagem de novela Crô  esta sofrendo homofobia dos próprios gays. Não vou dar opiniões sobre este assunto especifico porque não assisto televisão a 3 anos,  então com relação ao comportamento deste personagem me abstenho. Porém algo me chamou a atenção, o autor se disse intimidado por um rapaz durante um passeio que o acusou de esteriotipar o gay por causa de seu comportamento muito feminino e afetado . Gente, a melhor característica do Gay é o esteriótipo, todo o avanço nas conquistas por eles se baseiam no esteriótipo do heterosexual não assumido, das divas que eles tanto amam e que são exemplo de mulheres que lutaram contra tudo e todos e conquistaram o mundo porque são chiques, modernas, antenadas e acima de tudo exageradas em viver. Sou do tempo do Medieval em São Paulo a boate Gay mais chique no final dos anos 70 quando só se frequentava boate gay levado por gay. No meu caso acompanhava meu irmão que éra cheio de todos estes esteriótipos mas era chique demais, nesta época com caso assumido frente a família depois de levar muita bordoada dos tios militares. Mas esta é outra história. Só gostaria de dizer que com o avanço das leis finalmente os homosexuais conseguiram seu espaço na sociedade e parece que este fato está nivelando alguns de uma maneira negativa a tudo que está ai fora relacionado a homofobismo, preconceito e tal. Que triste conquista então. Sempre convivi com gays de todos os tipos porque eles sempre fizeram parte de minha vida em algum momento, e sempre me diverti muito com eles. São os melhores na Balada não tem nem o que se falar, mas também são amigos queridos . Porém ultimamente tenho percebido que alguns estão ficando chatos, muito iguais a tudo e todos. Querem ser igual a todo mundo, "fazer parte"...Será que é por ai? Se igualar a todos seria neste caso positivo mas sem abrir mão desta alegria espontânea e escrachada que particularmente é o que mais me atrai.  Nestes momentos consigo relaxar dessa minha máscara de socialmente adaptada e criar personagens, rir de tudo e todos. Ahhhhh! Nada como uma boa noitada com meus amigos gays. Gente, tem coisa mais chata que gay sério brigando com autor de novela porque a bicha é afetada e fere a imagem do Gay assumido homofóbico que quer ser papai? Ahhh gente me poupa táaaaaa. Não acho que precisa descambar o tempo inteiro, bicha escandalosa não tá com nada, mas bicha posando de hetero é uóooo. Então amados aproveitem a nova fase de tanta aceitação, afinal ter amigo gay virou até moda, mas não percam este lado ácido inteligente e combativo, e não caiam nessas babaquices pseudoheteropreconceituosas. Aprendemos com vocês a lição da tolerância, da aceitação, não deixem que alguns revertam toda essa coisa legal que rola agora, vocês conquistaram um espaço que muitas minorias ainda penam para conquistar, mas não esqueçam nunca do que é mais importante glamour.....brilho......balada....colocação....estilo.....ou tudo vai ficar muito sem graça.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Os passos que marcarão minha existencia aqui

Os passos que marcarão minha existencia aqui deverão ser quase invisiveis. Eles deverão ser capazes de marcar a minha experiência o meu legado sem nunca ultrapassar as fronteiras do aceitável. Sou apenas levada por minhas lembranças, me perdoem se não posso lutar contra todas estas vivencias pois elas são somente eu nada mais.

Não quero me privar da felicidade, mas tento manter a minha etica pessoal de em nada prejudicá-lo, se não for possível que seja apenas aquela medida que você tavez deva receber também.

Não quero apenas passar por aqui, quero servir, amar, deixar imagens boas em sua mente, em sua vivência em seu fluxo nesta vida. Quero acima de tudo fazer parte, sentir isso e acima de tudo acreditar que isso é possível.

Me perdoe se minto, me perdoe se desejo, me perdoe se mato, sou assim humanamente imperfeita, mas amo minha loucura, minha maldade, meu sadismo, minha insensatez pois somente através do amor poderei transformar estes meus enganos em energias positivas e através desta alquimia amorosa transformar todas estas emoções em parte de meu ser curado, livre para vagar pela imensidão da mente perfeita.

Sou tudo isso, e não sou nada, somos eu e você....amo toda esta perfeição, esta imperfeção também, amo estar viva, amo você e cada um que ao meu lado estiver, e  a cada um que longe está.

Que estas minhas pegadas leve  algum ser em desespero a me achar e que eu possa ao seu lado estar e mostrar quão maravilhoso é viver e se deixar amar.

sábado, 10 de setembro de 2011

O insite e a tsunami

Uma vez durante um ensinamento ouvi a seguinte frase : Tudo é perfeito¨. Aquilo bateu forte em minha mente como uma verdade incontestável mas ao mesmo tempo eu não tinha meios de explicar o por que. Ainda não havia a capacidade para uma percepção melhor sobre este meu entendimento¨.

O Darma possui estas particularidades. Conforme vamos livrando nossa mente de toda esta nebulosidade, nossos conceitos e padrões, vamos eliminando os tão falados véus e podemos aos poucos perceber pequenos espaços luminosos que nos proporcionam um vislumbre de sabedoria.

Ao iniciarmos a limpesa de nosso ¨disco rígido¨vamos criando espaços para uma melhor compreensão dos ensinamentos nas palavras de nossos professores, os quais procuram meios de nos ensinar compartilhando suas próprias experiências, suas realizações, e é nesse terreno que acontecem os ¨insites¨, quando nos tornamos ¨vazios, limpos para recebermos suas palavras.

Estes são momentos muito importantes da prática onde tenho contato com a minha própria experiência com meu próprio entendimento. É quando este entendimento nos toca de uma maneira tão profunda que chega a tirar o fôlego. Nos damos conta de quão perto estava, aliás de que estava todo o tempo ali e tivemos que ouvir tantas e tantas vezes de tantas maneiras diferentes para entender.

Com relação a observação ¨tudo é perfeito¨, o meu entendimento me fez perceber que o fato de existir a imperfeição já é uma prova da existência de seu contraponto. Quantas vezes já não ouvimos teses filosóficas de que sem o mal não haveria o bem, sem o feio não existiria o belo, sem a tristeza, não experimentaríamos a alegria e sem a sabedoria não nos daríamos conta de nossa imensa ignorância, e assim por diante.

Em nosso mundo dual, percebo que tudo se processa dessa maneira, a forma faz surgir sua antítese.

Uma imagem me marcou profundamente este ano, a imagem da Tsunami varrendo o japãp. Lenta e inexorávelmente deslizando, arrastando tantos seres.  Sem julgamento ela vinha tolhendo todas aquelas existências, sem julgar seus atos, apenas limpando tudo e criando uma nova realidade, um novo mundo. Triste é claro, amamos nossos companheiros nesta jornada, nos emocionamos, sentimos raiva por nossa impotência, mas a onda simplesmente estava lá e não se podia fazer absolutamente nada.

Juntando diversos ensinamentos, a imagem da onda me trouxe a percepção de que somos esse processo contínuo em mutação se movendo constantemente ao sabor da causa e efeito, o carma.

Cada um de nós segue como um fluxo, com suas marcas criando sua próxima existência e ao mesmo tempo um número incontável de fluxos de todos os seres senscientes também compondo essa onda caminhando juntos, criando mundos.

Como nós seres tão deludidos podemos negar tamanha perfeição? A cada segundo nos tornamos outro ser, dentro desse estado contínuo de movimento em bloco. Então percebemos a afirmação de que todos caminhamos juntos interagindo uns com os outros para formarmos esse mundo onde vivemos agora, completamente conectados  pelas causas e efeitos de nossos atos. Portanto, não posso generalizar nada baseada em minhas referências. O que posso perceber é a lógica do ensinamento sobre os 4 kayas, numa linguagem simples: a essência,  sua energia em movimento , a  manifestação em todas as forma e a sua unidade já que não estão em momento algum separados.

O que me acontece nessa vida é sim o resultado desta energia que proporcionou a minha manifestação neste mundo, e esta manifestação ao mesmo tempo depende de infinitas vidas de onde venho me deslocando nessa imensa tsunami de energia fluindo, se movimentando e se manifestando neste numero infinito de seres.

Percebi a maravilha desta oportunidade, quando nos apercebemos tão insignificantes para mudar o fluxo de nossa existência mas ao mesmo tempo termos a possibilidade de perceber mais dela e através desta percepção melhorar os rumos que ela vai tomar. Somente com o ato de amar, de nos abrir, nos deixar ir, desapegar, sem julgar. Somente sentir e compartilhar esse imenso amor , mesmo nos momentos de tristeza e dor, de horror e de insatisfação, pois os momentos de alegria são dádivas passageiras onde podemos descançar, nos recuperar para continuar a evoluir inexoravelmente nesta tsunami manifesta.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Julgamentos não funcionam


Viver é Arte
 Falando sobre compartilhar o entendimento, já ouvimos a frase ¨Ajuda mais olhar o problema de fora¨. Certo mas ôps, dia destes comecei a pensar sobre esta postura e vi que na minha percepção ela é bem erradinha. -Como assim? Perguntariam vocês.
Muito bem, não seria esta uma postura cômoda demais? Ou mesmo uma maneira de nos protegerrmos de nossos próprios mêdos, de nossas próprias culpas? Se colocar no lugar do outro não seria uma abordagem muito mais verdadeira com o outro e com nós mesmos?
É bem confortável julgarmos as pessoas do alto de nosso pedestalzinho de senhor sabe tudo não é mesmo. Agora tente de vez em quando entrar dentro do coração de um ser perturbado por suas emoções.   claro que precisamos ter coragem e treinamento para não nos envolvermos e tornarmos a vida da pessoa pior ainda, afff, ninguém merece alguém do lado  sempre apitando : ¨Eu não falei? ¨Eu não avisei¨?
Anfan, gente, falando sério, as vezes realmente estar de fora do problema nos dá uma visão mais clara porque não estamos envolvidos emocionalmente, mas até ai começar a julgar já é outra coisa. Percebi recentemente que consegui dissolver mágoas, ressentimentos só com a simples prática de me colocar no lugar do outro, tentar descobrir qual seria a minha reação ou comportamento caso estivesse envolvida por aquela emoção, prestar atenção se possível ao histórico de vida daquela pessoa, então apartir daí apenas tentar entend:-la.
O ato de julgar já está repleto de conceitos : isso é legal, isso não e assim por diante, olha os três venenos ai gente. Portanto sempre alertas firmes  no treinamento.
E sempre lembrando que retiros e seminários são tudo de bom, mas a confiança é muito mais poderosa, pois somente a prática salva gente. Posso dizer porque na minha atual situação tenho a plena certeza de que a confiança nos conecta aos professores, ao ensinamento, aos amigos espirituais. Estou longe mas esta distância me coloca muito próxima a tudo porque tenho a confiança de que a prática individual de cada um é que nos conecta realmente com o ensinamento e automaticamente nos conecta com a nossa mente nos dando mais suavidade para com o outro, mais entendimento, dai retiros, seminarios serão só alegria porque nossa mente estará muito mais aberta, mais receptiva.
Beijos a todos aqui de OP

terça-feira, 31 de maio de 2011

A primeira palestra a gente nunca esquece

Oi Gente, falando aqui da terra dos inconfidentes, muito frio, fogão a lenha e já sei fazer pão obaaaaaa!!!!!Pelo menos já dá pra não morrer de fome, eheheheh. Final de semana agitado na Casa de Santo Amaro, visita espacialíssima de meu professor do Darma Gelek e sua namorada Kenia. Muito legal, aliás Kenia pilota muito bem um fogão a lenha - sêis pensam que é fácil é, vem tentar. Anfan, primeira palestra em Ouro Preto, claro que não bombou né gente, mas veio quem tinha que vir, é sempre assim, o povo sai não sei de onde, pelas maneiras mais inusitadas, ahahahaha. Deixa eu explicar algo para aqueles que vão a primeira vez a uma palestra do Budismo- gente é minha vivência viu! A gente chega com aquela expectativa de ouvir coisas mirabolantes, formulas milagrosas, anfan, mas no final somente ouvimos obviedades da vida, então nos perguntamos - "Poxa mas eu já sabia disso" ou "Caramba isso é mesmo verdade, mas como vou lidar com isso no dia-a-dia"? Haha!! Eis o Xizão da questão, ai é que mora toda a angustia do ser humano atualmente. Gente, nós  temos primeiro que lidar com o que rola aqui dentro, depois olhar lá pra fora- "Porque"??? Porque tudo começa dentro. Claro que é difícil pacas ser agredido de todas as formas em diversos momentos e não sentir uma P raiva, mas ai é que começamos, porque sentimos raiva? De onde ela vem? O que provoca esta raiva em nós? Porque alguns sentem raiva com relação a isso e outros não ? Complicado né gente, cada um vê a vida e seus problemas de um ângulo próprio e único, se nós não olharmos para dentro e começarmos a analisar tudo isso continuamos como um monte de bonecos levados para lá e para cá ao sabor de todas estas emoções que afloram não sei de onde e que não podemos controlar. Aí está o Xizão da questão, no budismo aprendemos a começar com a mais forte, aquela que sentimos que nos tira do eixo e desencadeia tantas outras, pegamos essa danada e colocamos lá na nossa frente e começamos a esmiuçá-la, abrindo cada gavetinha da caixinha de pandora que aparece. Gente, o que sai de coisa de lá é impressionante e a gente não tinha nem idéia. Mas isso é para aqueles guerreiros corajosos que encaram esse desafio e dizem- "Agora vou pras cabeças, meu Ego me aguarde, vou me treinar e te enfrentar e ai de você se  te encontro no pedaço!!". Gente, voltando a falar sério, buda levou 84 anos para ensinar passo a passo todos os métodos para controlarmos todas estas infinitas emoções, se você é um guerreiro e gostaria de se inserir neste imenso exército que luta a milhares de anos para conseguir entender porque não temos que sofrer inutilmente, comece percebendo que sós não somos nada frente a esse grande desafio, a filosofia budista abre uma imensa variedade de métodos para nos ajudar, ao invés de perguntarmos porque as coisas acontecem lá fora, vamos nos perguntar porque não buscamos as respostas lá dentro, e lembrem-se sempre,. apartir do momento em que você teve um primeiro contato com o Darma, algo lá dentro vai começar a falar, então depende de você dar ouvidos ao que "Você" realmente quer, o que realmente vai lhe dar a felicidade que tanto você almeja, e boa sorte no caminho.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Semana Santa, o reveillon de Ouro Preto

Gente, tempão né, mas estou novamente na ativa, ainda sem minhas fotos ou meus filminhos do Yutoobe porque estou sem internet e meu computador pifou, sinto falta de meus programinhas de edição e tal mas logo logo voltareiiiii... Semana Santa, muitas coisas para contar, mas não se preocupem que Mariana Roballo esteve aqui me visitando e tirou milhares de fotos, vixe mainha haja foto, Mariana não parou, chegou super feliz pois iria auxiliar seu mestre, claro que ela vai contar tudo no Face, e Mary não esqueça aquele nosso blog, vamos dar andamento aquele nosso projeto demaissssss, gente é segredo não posso contar ainda. Bom Casa de Santo Amaro Bombando sempre de novidades, ufffa gente pensei que na roça o ostracismo iria me dar uma trégua do meu égo, doce esperança vã, haja pratica, haja mantra, tudo por culpa de Paulinho viu gente, no final das contas não sou nada, juro. Paulo como disse antes é o cara, o dono da Casa de Santo Amaro, conhece um mundo de gente legal, e nós simples mortais nos aproveitamos desta passagem por estas paragens para conhecer algumas. Começando as comemorações fomos assistir a apresentação da Orquestra de Ouro Preto, um programa leve agradável demais, apresentação especial de um xilofonista da orquestra de São Paulo. Mariana lá, teve a maior sorte de poder tirar fotos no interior da Igreja, caso especialíssimo, não pode de jeito nehnhum, pode causar danos, já falei que aqui tudo tem mais de 150anos gente. O Regente da orquestra é Rodrigo, levei um susto quando conheci porque você imagina regente de orquestra assim meio coroa, mas Rodrigo é Jovem assim como a orquestra e assim como Chiquinho que tambémm participou da apresentação na mescla de musica erudita com popular que ficou fantástica, chorei pacas na hora do segundo movimento da peça, uma folia de Reis, primeiro porque Chiquinho tocava bandolin e minha saudosa avó mãe de meu pai tocava bandolin, aliás meu pai gente tinha ouvido absoluto, tocava todos os instrumentos e regia a orquestra popular da cidade sem nunca ter estudado música.  Além disso tocaram uma música da Folia de Reis que me recordei ouvir em uma de minhas férias com minha outra avó, a materna, a folia entrava em casa cantando essa música, anfan pancada dupla no coração, neste momento de resgate de minhas raizes mineiras bateu forte e dá-lhe lágrimas, ah! Sem me esquecer de que Chiquinho é o secretários de cultura aqui de OP, super jovem também. Aliás existe um movimento cultural jovem bem forte por aqui, assim que me interar melhor vou informando. Minha opinião de leiga sobre a orquestra, fantástica, uma qualidade incrível, acho que posso opinar como ouvinte da orquestra simfonica do estado de São Paulo sempre que possível no Municipal. Bom, procissões, mais orquestra no sábado, desta vez, Beatles para orquestra, demais. Gente o Teatro é incrível, segundo Pedro Pederneiras acompanhado de Gabi, bailarina do corpo e sua esposa o primeiro Teatro de Ópera do Brasil, este dia estive ao lado de grandes figuras, além de Pedro e Gabi, Otto que havia feito show em BH, respondendo como havia sido... "Lindo!!!Lindo!!!" com aquele sotaque gostoso Pernambucano, para quem eventualmente não conheça, gente tem que saber, Otto já é parte da cultura musical nacional e mundial, percussionista da primeira formação do Nação Zumbi de mestre Science do importantíssimo movimento Mangue Beat,  depois de Mundo Livre, iniciou carreira solo e lançou "Samba pra Burro" considerado Melhor disco de 1988. Lembrando gente que os dois albuns de Science figuram na lista dos 100 melhores discos brasileiros segundo a Rolling Stones, portanto, tem que conhecer o trabalho desta galera. Eu no caso tive a grata oportunidade de conhecê-lo e ver seu carinho com seus admiradores, muita gente jovem que o abordava com o maior respeito, sem histeria, sinal de sabedoria. Bom gente, finalizando com os tapetes maravilhosos, agradecendo meus amigos Carlos e Cris e dizendo que de minha parte os tapetes do Senhora do Rosário arrazaram. Finalizando com meus agradecimentos a todas estas pessoas maravilhosas que me proporcionaram momentos maravilhosos, claro agora voltando a almofada para baixar o ego, aguardando a visita de meu querido professor do Darma e quem sabe abrindo uma brechinha aqui em OP para nosso querido Budismo Tibetano, juntando forças com o Zen que já existe por aqui. Fui...Ah! Aurea, se quizer serei sua correpondente aqui na internacional Ouro Preto eheheheheh.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Três Meses e Três Dias

Este é o tempo que dura um dos retiros no Budismo, incrível mas coincidentemente é o tempo exato em que completarei minha estada na Casa de Santo Amaro até o dia em que iniciarei meu trabalho, "sincronicidade". Neste tempo aproveitei para chorar todas as tristezas, ficar puta por tudo que "achei que perdi", retomar minhas práticas diárias, passar por muitas situações desagradáveis, outras muito legais, afinal achei que seria tudo tão monótono e no final foi tudo extremamente intenso dentro deste retiro necessário. O que aprendi nesta empreitada??? Que sem o Budismo não conseguiria entender nem uma pequena parcela de tudo que me aconteceu e está acontecendo, vendo as imagens da Tsunami no Japão sinto como se lentamente aquela onda poderosa estivesse me movendo, arrasando todos os conceitos pré estabelecidos, tornando tudo amplamente claro perante a força da nossa natureza e da natureza em si. Será que depois de vermos estas imagens ainda vamos ter a ilusão de que temos controle sobre alguma coisa???? Pobre ser humano, ainda acha que pode controlar a própria vida ditando normas e receitas de como ser melhor, ou mas influente ou mais sábio, balelas. Me sinto neste momento como uma daquelas casinhas sendo levadas sem rumo, batendo nos escombros do que um dia foi toda esta parafernália de métodos e sistemas de como viver a vida. Que maravilhosa oportunidade de crescimento me foi proporcionada, agradeço profundamente a meus amigos que tornaram tudo isso possível, na alegria e na tristeza, que maravilhoso descobrir a minha insignificância, que dádiva poder descobrir que quando o medo me abate posso buscar refúgio neste espaço infinito do meu ser sagrado.
Amigos queridos, é hora de pensarmos em coisas realmente importantes, temos que nos desvencilhar de uma vez por todas destes problemas minusculos e ridiculos de todos os dias dando a eles uma importância ridicula ao ponto de nos desequilibrar, o trabalho é árduo. Quantas vezes me deixei novamente enredar nestas situações mesmo tendo a clara noção do quão ridiculas elas são. O trabalho é contínuo e árduo, mas infelizmente o tempo é curto, aliás o tempo do ser humano é infinitamente menor perante o planeta imaginem perante o universo, somos apenas um minuto de existência e permanecemos centrados em nós mesmos, em nossas idéias egóicas, egoistas. Me sentei aqui para escrever amenidades, apenas um discurso frivolo sobre a minha experiência neste momento, mas depois de ver as imagens do Japão, prostrei, voltei a realidade "verdadeira", não aquela que achamos que vivenciamos. Amigos depois eu volto , vou tentar retomar a minha vidinha que é tão insignificante, pensar em meus probleminhas tão ridiculos e de alguma maneira conseguir contribuir positivamente pela humaninade.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Casa de Santo Amaro

Olá Galera, voltei finalmente. Depois do choque das mudanças as coisas começam a tomar rumo. Como o ser humano é adaptável não é mesmo! Já me sinto da roça, Modelitos Dona Neuta (lembra?) e tudo, até na roça tem que ser chique né gente. Bom, para sanar a curiosidade do pessoal digo que - estou no paraíso da roça, aliás minha  sina é morar em paraisos, isso quer dizer, sempre muiiiiiito trabalho né gente. Você sabe que está no purgatório quando mora no paraiso ahahahahaha. Tirando as bricandeiras vamos lá. Chegando com mudança, cachorras e marido no caminhão com um motorista baiano que não via a hora de voltar pra casa, êta que baiano fora de casa fica estressado. O bichinho chegou moído mas não quis pousar de jeito nenhum, disse que ia dormir em Teixeira pelo menos já tava dentro da Bahia, gente demais.... Anfan, quando adentramos a casa levamos um susto. Se alguém é mineiro e já teve a oportunidade de conhecer uma casa de fazenda tipica vai saber do que estou falando. A casa de Santo Amaro (como batizei) é isso e mais. Construida nos moldes das antigas casas de fazenda mineiras é espaçosa e rústica com algumas cositas mais. Gente, aqui faz frio viu, e parece que o povo gosta de apavorar a gente, agora no final de tarde já tem que colocar blusinha e acender o fogão a lenha, genteeeeee o fogão a lenha é tudo, estou treinando todo dia, não é fácil não viu, mas a comida é divina, já fiz até um almoço inaugural para alguns amigos. Voltando ao tema do frio, bom quando a gente reclama que é frio  o povo ri na tua cara sem pudor, aquele jeitinho de mineiro sabe, tirando uma - se tá achando frio, espera o inverno então sô. Ai Jisus.... vamos lá, preciso fazer com que minha memória corporal se lembre de quando morei em Curitiba e pegava 3 graus - dizem que é onde chega o termômetro aqui. Agora o que todo mundo deve estar esperando para saber, e Ouro Preto? Gente não dá pra descrever em palavras porque é emocionante andar pela cidade e imaginar que a qualquer momento pode passar tiradentes a caminho do cadafalso, pirante mesmo, a cidade é toda histórica e todo mundo mora nela. Estou um pouco afastada da cidade mas perto, fico há uns 10 minutos de ônibus e por enquanto venho duas vezes por semana para entrar na net, infelizmente lá não chega , por isso ainda não mandei um montão de fotos, preciso comprar um pendrive mas por enquanto a grana tá curta. Bom galera, assim que puder apresento a casa de Santo Amaro com estilo. Vai ter festa de apresentação e tudo, acho que em Fevereiro. Pessoal venham visitar este paraiso, mas tem que gostar de roça, cheiro de mato, barulhinho de água caindo na pedra, fogão de lenha, espreguiçar no sol final de tarde, tomar cafezinho com quitutes, conversar fiado na varanda......Quer mais?? Dia destes estava pensando sobre corpo e alma e fiz uma comparação com a Casa de Santo Amaro, quando chegamos éra apenas uma casa fechada, fria, agora tem alma porque tem gente, tem calor, tem cheiros e muito amor, sejam bem-vindos.