#Budismo#meditação

Compartilhando experiências no caminho

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A minha formatura este ano


Um final de ano está se aproximando, nesta nossa contagem ilusória do tempo.  Gostaria de numa visão parcial, claro a minha que é a única que reflete a minha percepção, dizer o que para mim aconteceu neste  aniversário que se aproxima de Ouro Preto.

Vou falar apenas do que aprendi, pois dentre todas as experiências que experimentei somente o aprendizado pode ser encarado de fato como algo positivo para mim. Este aprendizado se tornará minha experiência, meu legado, minha vivência durante este ano que se finda.

O que aprendi sobre amizade: descobri que realmente os amigos são na verdade nossa família pois são aqueles a quem escolhemos ou a quem a vida nos faz acolher em nossos corações. Por um motivo ou outro pessoas entram em nossas vidas, e é nossa responsabilidade zelar por elas, dar nosso apoio, nossa compreensão, nosso estímulo somente pelo fato de elas estarem lá   pois isso não é por acaso. Se cultivamos atitudes corretas, positivas e benéficas podemos perceber que os inimigos desaparecem pois este estado de inimizade é apenas um reflexo ilusório de nossa percepção quando nos utilizamos de subterfúgios como orgulho, ciúme, avareza ou raiva para nos relacionarmos com o mundo. Descobri com imensa alegria que não tenho inimigos, nem mesmo desafetos.  Descobri que isso aconteceu a partir do momento em que parei de classificar esse é meu amigo, aquele nem tanto, esse não me inspira em nada. Apenas decidi que indiferente de minhas percepções pessoas vão estar em minha vida e devo respeitá-las sem qualquer protecionismo ou favorecimento.

Aprendi sobre tolerância : aceitando o ponto de vista do outro, me colocando no lugar do outro e por fim deixando de lado meu orgulho em detrimento do que era o certo em prol do que era o justo para ambos os lados.

Aprendi sobre o que realmente é importante: consegui perceber através de minha prática que para mim o mais importante é o meu caminho, só ele importa pois ele é a minha vida meu maior legado . Ele me dá as condições de perceber meus erros quando posso encará-los e aceitá-los. Meu caminho me ensina que sim, preciso ter uma boa condição de vida para  seguir meu caminho espiritual, se nesta vida posso usufruir destas condições positivas isso quer dizer que batalhei por elas e não é meu direito abrir mão desta condição perfeita que possuo agora, meu maior tesouro nesta vida é meu nascimento como ser humano . Posses, propriedades, fortuna para mim se resumem em uma palavra, despertar. Ver a vida como realmente é, encarar as tristezas e sofrimentos como um degrau para a descoberta de estar no caminho real. Descansar nos momentos de alegria, me deixar ser feliz sem culpa, mas sempre alerta para o fato de que tudo muda,  tudo se transforma inclusive nós mesmos, e através destas mudanças é que reside a clareza o aprendizado e por fim a sabedoria de entender o significado de cada acontecimento em nossa vida. Não culpar, não procurar fora a razão de nosso sofrimento pois é insano procurar fora algo que geramos em nós mesmos, ninguém pode ser responsabilizado por nossas desventuras, de uma maneira ou de outra nós colhemos o que plantamos, a sincronicidade nos mostra isso. Nada é por acaso.

O que aprendi sobre o amor: que ele só é válido quando é praticado com o coração . Aprendi que dizer te amo é fácil, mas sentir o amor em nosso coração com verdade e sinceridade por tudo e todos é um exercício longo e dolorido. Aos poucos vamos amolecendo nossa postura então aquele não matar começa a fazer sentido e até o sofrimento do menor dos insetos nos alcança, precisamos ser fortes, ser guerreiros da luz primeiro conosco, percebendo as vezes nossa impotência frente aos acontecimentos mas percebendo ao mesmo tempo o poder infinito deste sentimento e enviá-lo a todos os pontos deste planeta e além.  Somente com o desejo de que todos os seres tenham felicidade e que encontrem os meios para atingi-la, com convicção e acreditando verdadeiramente que esse nosso desejo se concretizará.

O que aprendi sobre sabedoria : aprendi que podemos obtê-la, e o quanto é maravilhosa esta oportunidade de simplesmente entender. Entender o quão somos fracos, preconceituosos, maléficos, invejosos, injustos, prepotentes e muito mais. Aprendi que sou tudo isso e quando percebi me achei horrível, e chorei. Mas depois percebi também o quanto de bondade e generosidade eu era capaz de sentir e compartilhar e me senti mais segura para encarar a todo momento estas emoções tão infectadas e impuras mas que tenho certeza são passiveis de depuração para transformá-las através da alquimia do coração. O remédio com certeza é o amor, a prática diária da consciência plena, da atenção treinada exaustivamente todos os dias com a prática, com a nossa fiel companheira em quem podemos confiar totalmente pois éla nos traz a verdade, ela nos mostra o caminho certo. Como nosso juiz e nosso mestre nossa consciência sabe tudo, a culpa não é nada mais que a nossa própria consciência nos dizendo que erramos, que algo não está legal. As vezes nossas atitudes estão envoltas nesta bruma de ignorância e não percebemos nossa participação ativa nos acontecimentos e magoamos, ferimos. Mas nossa consciência é clara e límpida como a água de um riacho sem impurezas, e nos manda sinais. Nos manda a todo momento mensagens de “não faça”, mas lá está nosso égo cheio de orgulho e nos diz “faço”.

E por fim o que agradeço: a meus mestres por sua entrega generosa. A meus amigos no caminho, Budistas ou não pois todo caminho nos leva a um único lugar, a nós mesmos. A meus novos companheiros que entraram em minha vida neste ano maravilhoso pleno de aprendizado. As perspectivas de um novo ano de crescimento e de poder cada vez mais me doar de maneira positiva ao darma e a todos os seres sempre me desculpando por ser ainda tão fraca e ainda cair em minhas delusões , mas prometo que neste novo ano tentarei ser muito melhor, e no próximo mais ainda, até que por fim possa me encontrar na paz simples do existir sem causar dano.

A todos um feliz Novo Ano de aprendizado, e que minhas palavras possam continuar a levar  somente o que de melhor tenho em  mim.

SARWA MANGALAN

Damcho Drolma

Vulgo -  Carmem de Cassia

P.S. Dedico este texto  principalmente a Cris, Carlos, Paulinho, meus grandes mestres este ano, meu companheiro amado Julio e a todas as pessoas maravilhosas que Ouro Preto me propiciou conhecer, tendo consciência de que elas estão em todos os lugares, basta aceitarmos nossa nova morada como a nossa casa, nosso lar e assim é o mundo todo.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Gay homofóbico é Uóooooooo

Hoje li um comentário em um blog que me preocupou. O personagem de novela Crô  esta sofrendo homofobia dos próprios gays. Não vou dar opiniões sobre este assunto especifico porque não assisto televisão a 3 anos,  então com relação ao comportamento deste personagem me abstenho. Porém algo me chamou a atenção, o autor se disse intimidado por um rapaz durante um passeio que o acusou de esteriotipar o gay por causa de seu comportamento muito feminino e afetado . Gente, a melhor característica do Gay é o esteriótipo, todo o avanço nas conquistas por eles se baseiam no esteriótipo do heterosexual não assumido, das divas que eles tanto amam e que são exemplo de mulheres que lutaram contra tudo e todos e conquistaram o mundo porque são chiques, modernas, antenadas e acima de tudo exageradas em viver. Sou do tempo do Medieval em São Paulo a boate Gay mais chique no final dos anos 70 quando só se frequentava boate gay levado por gay. No meu caso acompanhava meu irmão que éra cheio de todos estes esteriótipos mas era chique demais, nesta época com caso assumido frente a família depois de levar muita bordoada dos tios militares. Mas esta é outra história. Só gostaria de dizer que com o avanço das leis finalmente os homosexuais conseguiram seu espaço na sociedade e parece que este fato está nivelando alguns de uma maneira negativa a tudo que está ai fora relacionado a homofobismo, preconceito e tal. Que triste conquista então. Sempre convivi com gays de todos os tipos porque eles sempre fizeram parte de minha vida em algum momento, e sempre me diverti muito com eles. São os melhores na Balada não tem nem o que se falar, mas também são amigos queridos . Porém ultimamente tenho percebido que alguns estão ficando chatos, muito iguais a tudo e todos. Querem ser igual a todo mundo, "fazer parte"...Será que é por ai? Se igualar a todos seria neste caso positivo mas sem abrir mão desta alegria espontânea e escrachada que particularmente é o que mais me atrai.  Nestes momentos consigo relaxar dessa minha máscara de socialmente adaptada e criar personagens, rir de tudo e todos. Ahhhhh! Nada como uma boa noitada com meus amigos gays. Gente, tem coisa mais chata que gay sério brigando com autor de novela porque a bicha é afetada e fere a imagem do Gay assumido homofóbico que quer ser papai? Ahhh gente me poupa táaaaaa. Não acho que precisa descambar o tempo inteiro, bicha escandalosa não tá com nada, mas bicha posando de hetero é uóooo. Então amados aproveitem a nova fase de tanta aceitação, afinal ter amigo gay virou até moda, mas não percam este lado ácido inteligente e combativo, e não caiam nessas babaquices pseudoheteropreconceituosas. Aprendemos com vocês a lição da tolerância, da aceitação, não deixem que alguns revertam toda essa coisa legal que rola agora, vocês conquistaram um espaço que muitas minorias ainda penam para conquistar, mas não esqueçam nunca do que é mais importante glamour.....brilho......balada....colocação....estilo.....ou tudo vai ficar muito sem graça.