#Budismo#meditação

Compartilhando experiências no caminho

quarta-feira, 28 de março de 2012

Ninguém quer sair da casinha

Todos conhecemos aqueles momentos mágicos que acontecem em nossas vidas de vez em quando. São aqueles momentos em que se unem diversos fatores que nos fazem perceber a magia das relações.
Aqui em Ouro Preto percebo cada vez mais esta sintonia que atrai pessoas interessantes. As vezes grupos se formam pela primeira vez e então tudo começa a fazer sentido quando falamos de hospitalidade.
Juntar pessoas diversas, com suas especialidades e conhecimentos, pessoas interessantes todas tendo o que falar e acrescentar a nossa vida são encontros mágicos que fazem com que cresçamos como pessoas, mas para que isso aconteça é necessário o “meio ambiente”.
Juntar pessoas é uma arte. Quando o espaço propicia então essa interatividade é melhor ainda.  É interessante ver quando a brasilidade se expressa em todas as suas características próprias.    Gaúchos, cariocas, mineiros, goianos, paulistas cada um com sua particular maneira de expressar e exaltar a sua cultura,  e no final das contas nos descobrirmos todos tão brasileiros, tão apaixonados . Assim é a casinha, modo como carinhosamente chamo a casa de meus queridos amigos. Reconstruída literalmente para abrigar um sonho de compartilhar uma vida em comum,  esta linda casinha tomou também o papel para si de um refúgio para alguns agregados recém-chegados como nós e também um cartão de visita para aqueles que querem conhecer Ouro Preto, sua história e seus causos.
A casinha é assim, seu coração pulsante como na maioria das casas mineiras na agradável copa cozinha com seu belo fogão a lenha. Ao fundo o pequeno jardim guarda seu mais antigo morador, o velho limoeiro “bonsai gigante” que encerra em cada fruto  o renascimento de suas memórias.
Como avaliar momentos tão particulares onde a literatura, a pintura, a poesia e tantos conhecimentos se encontram e fluem de maneira tão verdadeira. É belo ouvir do poeta sua criação, é como a mãe ao falar do filho, sentimento de quem pare e nutre.
A importância das pessoas não está no seu conhecimento adquirido, mas sim na sua generosidade em compartilhá-lo.
Por isso a casinha é tão especial,  e por isso agradeço todos os dias poder desfrutar destes momentos tão mágicos onde todos podem “ser” apenas e dividir algo.
Parabéns meus amigos, vocês conseguiram expressar  toda a generosidade e receptividade que habita em seus corações e materializaram tudo isso neste espaço tão charmoso e belo.
Obrigada aos artistas das palavras, dos traços e do conhecimento por dividirem comigo suas experiências  e seus sorrisos e abraços, isso é o que realmente vale a pena.
E meninas, adorei as tortas na cara, porque a casinha também acolhe muitas crianças, um cachorro temperamental mas muito amado e um papagaio doidinho chamado Brasil. Gente! Quer ambiente mais propicio para todas as nossas loucuras boas?
Este é um espaço do bem. Tashi Delek

Nas fotos: Eduardo Bueno (escritor e historiador), Paula  Taitelbaum(escritora), Sussuca (artista Plastico), Celina (museóloga), Carlos (poeta e empresário), Cris (professora de dança), Juliana (professora de francês), e eu apenas uma privilegiada.