#Budismo#meditação

Compartilhando experiências no caminho

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Dias Aziagos


                                                                                                                                                                   Tem dias que a gente se sente mesmo um lixo. Nada dá prazer, todos parecem que de alguma maneira estão te ignorando, você pede para o dia acabar e reza para que no outro dia tudo passe e volte àquela vontade doida de viver, de lutar.
Após algumas décadas cada novo dia depois desse se torna mais difícil. É como querer arrancar com aquele fusquinha velho  que já não aguenta mais e se fazer de forte para subir as ladeiras da vida.
Impressionante como tudo se apaga, como todas as cores se tingem de cinza e mesmo aqueles a quem amamos nos parecem distantes perdidos no tempo, você ficando para trás e todos indo em frente em frente em frente.
Hoje estou assim, descolorida, despenteada, desarrumada tentando encontrar a tal razão para continuar em frente. Faço praticas, faço malas, acendo incensos, coloco aquela musica tão legal e nada.
É como uma bola murcha esperando que algum novo ar a encha novamente. Penso :  "Tudo passa, diz à experiência , já vivi isso tantas vezes." Mas o que acontece é que a cada vez pegar no tranco é mais difícil. Olho meu computador, nem um ano de vida e lá se foi à placa mãe, meses pegando no tranco e eu torcendo, pega vai!! Me sinto assim.
Ahhh! Suspiro longamente tentando encontrar novamente a luz, minha espada de "Jornada nas Estrelas" esgotou a bateria e vejo pela frente a imensa imagem escura de Darth Vader me dizendo que chegou a hora de cair  novamente na real, o mundo realmente não é fácil.
Me pergunto então: “ Será que minha chama se tornou um fiozinho de nada de luz?” Assopro, ponho na tomada, jogo álcool e lenha e nada, foguinho manso  que nem chega a esquentar.
Vontade de estar nem sei onde, fazendo nem sei o que, será que ainda há tempo? Procuro meios de entender porque a vida não me sorri, mas isso de nada adianta, tenta uma coisa, tenta outra, faz isso, faz aquilo, trabalho não falta sempre muito à vida toda mas e aquela graninha extra, não vai pintar???
Me acho idiota, reclamar de que? E volta o mantra, ter onde morar, ter o que comer, ter o que compartilhar, mas isso basta? Porque não pode simplesmente bastar, porque sempre se quer mais e mais e mais.
Tenho medo, sinto angustia e me sinto só, sei que muitos me tem carinho, sei que muitos me querem bem, que quero mais? Então porque essa tristeza avassaladora, esse cansaço.
Meu medo não é sentir o que sinto mas saber que sentirei novamente, e então será que vou retornar? Será que terei forças para soprar a chama, para aquecer meu coração e pegar no tranco?
Acho que muitos sabem o que sinto, claro somos todos farinha do mesmo saco. Me lembro de tanto que aprendi, tanto que estudei e pratiquei, mas em dias aziagos é mesmo assim. Tenho que me contentar com esse cinza mais ou menos, com essa existência mais ou menos, com essa aparência mais ou menos. Sou assim mais ou menos em dias aziagos.
Procurar razões é inútil, elas apenas vão se acumulando dia a dia a cada decepção, a cada projeto frustrado, a cada momento perdido e essa tristeza se apossa do coração e nos toma assim de supetão.
Nesses momentos me sinto totalmente escorpiana, como cobra que troca a pele, como fênix que queima e espera...o que sobreviverá?
Nesses dias mais ou menos me sinto completamente humana, me igualo a tudo e todos tentando desaparecer, sumir no espaço e não ter que voltar mais, não ter que acender mais, apenas uma luzinha que se esvai, tranquila, serena, e que já não existe . Assim são esses dias aziagos apenas essa vontade de não ser, ou apenas ser o nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade a casa é sua...